Espelhos e contas de vidro.

Só agora tive tempo de escrever sobre a tão falada carta da presidente Dilma em homenagem a passagem dos 80 anos de Fernando Henrique. O que não é de todo mal, pois o tempo me permitiu acompanhar os desdobramentos da jogada petista na imprensa e nas palavras de lideranças do meu partido, o PSDB.

A atitude pode pode ser vista como um gesto de grandeza e reconhecimento. Eu a vejo como mais uma jogada para a torcida. Em 2014 tudo será esquecido e novamente a novilíngua petista tentará apagar da História a grande transformação pela qual passou o país no governo tucano.

Contudo, é interessante guardarmos a memória desse reconhecimento (falso e) tardio. Certamente não foi um texto à toa. Foi estrategicamente montado e divulgado. Nesse sentido, como peça de comunicação política, já se tornou um documento histórico – como “Carta aos Brasileiros” do então candidato Lula.

O documento é importante, mas não podemos nos iludir com espelhos e contas de vidros. A nau petista nunca atraca para fazer amizade. Querem, lembrem-se, eliminar o adversário. A carta só foi possível porque tanto Dilma (por enquanto) quanto FHC são “café-com-leite”, estão fora da brincadeira de 2014. É ainda inimaginável algum petista reconhecer o sucesso da gestão de José Serra no Ministério da Saúde, destacar que sua luta também vem desde a juventude como presidente da UNE entre tantos méritos que ele tem. Ou não?

A luta contra o petismo é permanente e ocorre em todos os campos – político, econômico, cultural. O adversário é ardiloso e ocupa melhor posição. Como bem destacou Serra na recente visita a Santa Catarina, a dupla-face é inerente ao petismo. Jogam sempre com a dubiedade a seu favor. Enquanto um assopra, o restante morde. Por isso, é importante que nós da oposição não baixemos a guarda por conta de um elogio, de um agrado.

________________

Íntegra da Carta “De Dilma para FHC”

Em seus 80 anos há muitas características do senhor presidente Fernando Henrique Cardoso a homenagear.

O acadêmico inovador, político habilidoso, o ministro-arquiteto de um plano duradouro de saída da hiperinflação e o presidente que contribuiu decisivamente para a consolidação da estabilidade econômica.

Mas quero aqui destacar também o democrata. O espírito do jovem que lutou pelos seus ideais, que perduram até os dias de hoje.

Esse espírito, no homem público, traduziu-se na crença do diálogo como força motriz da política e foi essencial para a consolidação da democracia brasileira em seus oito anos de mandato.

Fernando Henrique foi o primeiro presidente eleito desde Juscelino Kubitschek a dar posse a um sucessor oposicionista igualmente eleito. Não escondo que nos últimos anos tivemos e mantemos opiniões diferentes, mas, justamente por isso, maior é minha admiração por sua abertura ao confronto franco e respeitoso de ideias.

 Querido presidente, meus parabéns e um afetuoso abraço!

5 comentários em “Espelhos e contas de vidro.

  1. Enalteço desse texto uma passagem: “a luta contra o petismo”. Essa passagem me chama a atenção pois o Petismo na minha visão é diferente de PT. Petismo é essa cultura espúria, de muitos dos Petistas de favorecer a si e aos seus companheiros. PT foi um partido de lutas, que jogou sua ideologia fora para atender seu projeto de poder. Mesmo assim deve haver no PT quem se levante contra essa situação, quero crer. E quero crer porque não vejo. Não há nenhuma mobilização Petista de autocrítica como sempre houve e haverá no PSDB. É lamentável portanto, ver um partido tradicional fadado a implosão no momento seguinte a perda do poder.
    Se os petistas não se cuidarem, vai faltar espaço pros “companheiros” na dança das cadeiras que não tardará a acontecer.

  2. É de conhecimento geral que a atual presidente de nosso país tem nas costas os votos pedidos por Lula nas últimas eleições.
    O PT reconheceu situação favorável e aproveitou.
    Esse momento de bem estar da população brasileira com o Governo Lula estava diretamente sustentado pela economia que o país vinha apresentando.
    E é aí que quero chegar.
    O PT sabe que nas próximas eleições o cenário não será o mesmo.
    Pois a economia que encontrou estabilizada e tanto lhe ajudou nestes anos de governo já não se mantém a mesma.
    E aos poucos o povo brasileiro vai reconhecendo o verdadeiro trabalho deste governo, que criticava as privatizações e AGORA PRIVATIZA,
    que recebeu a economia estabilizada e agora APRESENTA DÍVIDA PÚBLICA, que cria MEDIDAS PROVISÓRIAS INCONSTITUCIONAIS,
    que PRATICA CORRUPÇÃO e DEFENDE MINISTRO QUE AGE CONTRA A LEI.
    E portanto, prevendo o cenário para as próximas eleições já começa a pensar sobre a oposição… e a agir com “cordialidade”.
    Alguma dúvida que daqui para frente situações como esta (de “cordialidade”) serão cada vez mais comuns?
    Porém engana-se o PT ao pensar que o PSDB cairá nessas suas “políticas” ou apoiará seus projetos.
    Jamais! Pois o PSDB faz projetos para o Brasil.
    E como muito bem nos diz o Senador Aécio Neves: “Sempre que precisou escolher entre os interesses do Brasil e a conveniência do partido, o PT escolheu o PT”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s