Na educação catarinense, algo para comemorar.

Jefferson Fonseca

O Brasil é um país de contrastes. A partir da implantação do real e da estabilização da economia, o país avançou em passos largos para uma condição de prosperidade e melhora nos seus índices de desenvolvimento. Infelizmente, isso não foi suficiente para diminuir significativamente as diferenças que ainda persistem em diversos setores. Por isso, toda redução de desigualdade social deve ser comemorada

Na educação, isso também é regra. Segundo estudo sobre políticas de educação em Santa Catarina, publicado pela Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), o desempenho catarinense no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) tem sido melhor do que o de outros Estados brasileiros. Confrontado com os outros países que participam da prova, o desempenho brasileiro fica muito abaixo da média. Da mesma forma, há uma expressiva distância entre o desempenho dos estudantes das redes privada e pública – a escola pública, em geral, tem piores resultados.

A boa notícia é que pouco a pouco os extremos começam a se aproximar. O resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010, em Santa Catarina, recentemente divulgado nos meios de comunicação, é uma prova disso. Esse exame é um teste de múltipla escolha para os titulares do ensino médio. Por ser voluntário, ainda não pode ser considerado ideal para comparar desempenho entre instituições. Contudo, gradualmente o Enem está sendo adotado como critério de admissão em muitas universidades, o que faz aumentar a participação, a concorrência e a importância dos dados obtidos com a prova.

Assim, merece aplausos a melhora de cerca de 30% no desempenho da escola catarinense última colocada. Em 2009, nosso pior desempenho foi de 382,29 pontos. Em 2010, a última colocada alcançou 471,85 pontos. Quase 100 pontos de diferença. Vitória da educação e dos catarinenses, esse salto espetacular deve ser comemorado tanto entre os que integram o corpo funcional da Secretaria de Educação – professores, técnicos administrativos – quanto por toda a sociedade.

Santa Catarina alcançou com anos de antecedência o primeiro dos Objetivos do Milênio estabelecidos pela ONU, que é o de reduzir à metade, até 2015, a proporção da população que vive em extrema pobreza. O segundo desses objetivos é o de garantir educação básica de qualidade para todos. Ainda há muito a se fazer, mas dados como os do último Enem mostram que a desigualdade continua a diminuir em nosso país. E que, também na educação, os catarinenses estavam no rumo certo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s