Educação: a questão não é apenas de investir mais. Tem que gerir melhor e mudar prioridades.

No relatório “Education at a Glance 2015” lançado hoje, 24/11, pela OCDE, considerando os 34 países membros e mais 12 parceiros: o Brasil tem o maior índice de jovens (20 a 24 anos) que não estão estudando. Isso apesar de aplicar 5,6% do PIB (em 2012) na Educação, índice maior que a média da OCDE de 4,7%.

Há problemas de eficácia no gasto e de desigualdade – o ensino superior brasileiro recebe 3,4 vezes mais recursos que o ensino básico (a média da OCDE é de 1,8 vez maior).

É preciso gerir melhor o que temos, antes de aumentar o investimento, contando com um sonho de Pré-Sal. É também é preciso inverter essa pirâmide: gastar mais recursos públicos com a Educação Básica e menos com o Ensino Superior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s