VAMOS FALAR DE PARLAMENTARISMO? (1)

No ano passado, ao declarar minha posição no segundo turno, escrevi: “O que me leva a torcer pelo Bolsonaro é mais simples: o domínio da realpolitik pelo PT me trouxe à conclusão de que o retorno deles ao poder não será uma simples “eleição”, mas uma tomada de poder, conforme já adiantou o Zé Dirceu. Eles não sairão tão cedo. No caso do Bolsonaro, mesmo com uma bancada própria, não acredito que dure muito essa “onda”. Vejo inclusive, como já manifestei, a eventual vitória dele como uma chance de avançar o debate sobre o Parlamentarismo.

Sem nenhum grupo tradicional no controle do Executivo e com medo de perder força para o Legislativo, quem sabe uma reforma inclua a mudança do sistema político. Com o Parlamentarismo poderemos no futuro evitar esses arroubos populistas, messiânicos e autoritários. Característica das duas candidaturas deste segundo turno das trevas.”

Chegou a hora.

Conforme o esperado, o governo Bolsonaro abre uma ótima oportunidade para falarmos do parlamentarismo. Um presidente eleito sob um discurso populista, sem programa de governo claro, com pouca habilidade para lidar com o Congresso e sem um grande partido por trás de si escancara os problemas do presidencialismo e deixa livre as lideranças parlamentaristas para fazerem avançar o debate sobre a mudança do sistema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s